Guia da nutrição gestacional: tudo que as futuras mamães precisam saber!

01 | 10 | 2021
Alimentos
Saúde

Durante a gravidez, é natural que o organismo da mulher sofra algumas alterações, por isso, é importante manter hábitos alimentares saudáveis seguindo as recomendações de um profissional.

É comum apresentar alguns sintomas recorrentes durante a gestação, como: enjoo, dores de cabeça, fadiga, entre outras sensações que afetam o bem-estar das mulheres. Entretanto, alguns alimentos e hábitos podem auxiliar a combater esses incômodos trazendo ainda mais disposição para o dia a dia.

 

 

Além disso, manter uma alimentação balanceada é essencial para o desenvolvimento adequado do bebê, sendo assim, devem fazer parte do cardápio durante a gestação, são eles:

  • Vegetais verdes  
  • Ovos orgânicos
  • Feijão
  • Abacate
  • Oleaginosas e sementes
  • Frutas vermelhas

Outro sintoma bastante comum na gravidez é a queimação no peito (conhecida como azia), principalmente após as refeições. Essa sensação é o resultado da ação do hormônio progesterona, que relaxa a musculatura de alguns órgãos, a exemplo do anel muscular que fica entre o esôfago e o estômago. Para aliviar esses sintomas, as gestantes precisam adotar alguns hábitos, como:

– Comer poucas quantidades de comida várias vezes ao dia

– Depois de comer, dar uma leve caminhada – nada de deitar e tirar um cochilo

– Ficar longe de alimentos gordurosos

– Não consumir antiácidos sem consultar o médico, pois a composição de forma geral não é segura para gestante

 

 

As fibras são importantes durante a gravidez?

A nutricionista Gabriela Caldas afirma que sim.

“É importante o consumo de alimentos ricos em fibra, eles ajudam a manter o sistema digestivo regulado, pois durante a gravidez é comum ter constipação”.

Porém, existem alimentos que devem ser evitados durante esse período, pois podem agravar os sintomas ou até mesmo prejudicar o desenvolvimento do bebê. Fique longe de:

  • Peixe cru e carne mal passada: podem apresentar ovos do Toxoplasma gondii, parasito causador da toxoplasmose, podendo trazer má formação ao feto.
  • Ovos crus ou com gema mole: podem conter a bactéria Salmonella, causando diarreia, vômito e febre.  
  • Leite não pasteurizado: contém elevado número de microrganismos que podem causar infecções intestinais, diarreias e mal-estar.
  • Frutas e legumes mal lavados: produtos de hortifruti que não foram higienizados corretamente são fontes de contaminação da doença toxoplasmose, que pode causar aborto e parto prematuro, além de alterações na saúde do bebê.

Nada de bebida alcóolica

“Os efeitos da exposição do feto ao álcool são irreversíveis, visto que o álcool atravessa livremente a barreira placentária. O álcool é capaz de causar efeitos principalmente neurocomportamentais”, reforça a nutricionista Gabriela Caldas.

Por isso, nada de bebidas alcóolicas durante a gestação!

A alimentação pode voltar ao normal no pós-parto?

Considerando que a formação do paladar começa ainda durante o período intrauterino, é importante manter hábitos saudáveis durante o pós-parto, já que há o período da amamentação.

“Para garantir uma fonte adequada ao bebê durante a amamentação e também para a mãe que está em estado de recuperação, é necessário manter uma dieta balanceada, controlando o consumo de alimentos que causem desconforto no sistema digestivo do bebê”, comenta a nutricionista.

Portanto, para as futuras mamães, é importante ter um estilo de vida saudável e sempre consultar o profissional obstetra responsável por sua gestação. 

Família bem cuidada com os serviços da Sapore nos hospitais, clique aqui e conheça a Gran Vidas.

Compartilhe nas redes

Deixe seu comentário

Concordo que meu comentário será aprovado por um administrador da página

Assuntos relacionados